Tema do programa  #Encontrocomfatimabernardesoficial

Casamos e agora, moramos  juntos ou separados?

Primeiro vem o amor, depois vem … Bem , depois vem um monte de coisas e uma delas é  um  caminhão de mudanças.

Para muitos casais, morar junto é uma decisão importante. Decisão esperada por um casal que se ama e quer construir uma vida juntos.

No entanto, um crescente número de casais em uma série de países ocidentais  como aGrã-Bretanha, Suécia e Canadá não pensa nessa possibilidade,  ele prefere manter  suas casas separadas. Decisão essa considerada um  fenômeno  crescente, conhecida lá fora como  LAT ( living apart but together- vivendo separados porém, juntos).

Então, por que um casal opta por viver separado quando poderia estar vivendo sob o mesmo teto? Apesar de ser uma   experiência incrível e, eu tenho certeza de que é,  existem alguns benefícios no viver em casas separadas.

Em primeiro lugar, viver separados pode ser uma maneira de aumentar a  novidade e a emoção em um relacionamento.

No início do relacionamento, os casais se envolvem  em um monte de atividades divertidas.

Eles se vestem para os encontros, eles exploram novos locais, um tentam fazer o que o outro gosta de fazer no seu tempo livre, e eles têm papos interessantes.

No entanto, como o passar do tempo, a vida a dois cai em na rotina da misericórdia  ao o ponto de pararem de fazer coisas divertidas, coisas novas em conjunto, levando ao tédio. Ficam em casa os dois de pijama, sem assunto, acomodados, chamando de pai,  mãe .

Sem falar naquela camiseta do tempo do êpa, servindo como camisola, aquela cueca velha andando pela casa de meia preta, aquela visão do inferno pela manhã ao acordar da mulher rosto inchado  descabelada, aquela baba sêca escorrida do lado da boca do cara. A pasta de dente apertada do meio do tubo. O xixi por todos os lugares menos no vaso e depois você senta ali na pressa. Dá vontade do número  2 e os dois tão íntimos a conversa rolando ao som dos gemidos do outro. Além do que, quando você não está a fim  e aquela espada que não foi desebanhada na noite anterior, que você estava pronta para a luta e ele caiu no ronco e agora as 6 da manhã ela resolve te cutucar…

Ao escolher não viverem juntos os casais têm encontrado uma maneira de  impedir que seus relacionamentos tornem-se monótonos. Esses casais têm muito menos tempo para passarem juntos, razão pela qual  tudo tem que ser realmente planejado. Passar pouco tempo juntos pode encorajar estes casais a se esforçarem mais nos seus encontros, por isso tudo fica mais emocionante,  reduz o tédio e aumenta a satisfação entre os dois a longo prazo

Os relacionamentos de longa distância da mesma forma têm tempo limitado para  ser gasto por isso parecem ser mais apaixonados do que os casais que vivem geograficamente próximos. Eles idealizam seus parceiros de uma forma mais positiva o que geralmente é uma coisa boa; passam mais tempo relembrando ou sonhando com seus relacionamentos. Além disso, esses efeitos são mais acentuados quanto menos tempo o casal passa junto.

Esses casais evitam ainda, mais uma grande desvantagem do viver junto, que é o número grande de compromissos com o relacionamento.

Basicamente, a convivência coloca barreiras quando o assunto é terminar um relacionamento – é mais difícil para os casais se separarem se eles vivem juntos, porque tem todo um trabalho envolvido nisso, dividir suas coisas,  encontrar um novo lugar, e assim por diante.

Contudo, para alguns, viver junto pode significar estar “preso” em um  relacionamento sem saída por causa do aborrecimento da separacão. Os casais que não vivem juntos  não tem que lidar com esse tipo de compromisso: porque terminar dá muito menos aborrecimento.

Pode parecer  que prego a vida a dois separados,nada disto. Não posso negar os enormes benefícios de viver sob o mesm teto. Somos seres sociais, e ter a companhia constante de quem amamos é extremamente gratificante.   Qualquer que seja a sua escolha é importante que você é seu parceiro estejam dispostos a investir nos seu relacionamento.O que importa mesmo em um relacionamento é o comprometimento de ambos. Não existe o certo e o errado. Estar no mesmo ambiente ou do outro lado do país .

Vale ressaltar que para um relacionamento dar certo é mandatório que exista confianca mútua. Uma pessoa extremamente ciumenta não tem um relacionamento saudável seja morando junto ou separado, quem não confia no outro, seja junto ou separado terá problemas mais cedo ou mais tarde.  O fato de viverem juntos não diminui o risco de um dos dois levar um chifre.

Os casais de meia idade entendem isso muito bem. Quando cada um tem seu espaço, tem sua independência financeira, nem sempre é fácil essa transição. Existem as manias do tipo, dormir atravessado na cama, deixar a luz acesa, etc., que podem parecer pequenas, mas interferem no dia a dia de quem está acostumado com aquilo.

Existem os dias em que estamos mais sedentos por carinho, sedentos por uma presenca , um aconchego, mas para mim  por exemplo , eu ligo e digo, “amor vem pra cá, estou precisando de você” e ele vem ou eu vou.

Pode ser que mais para frente possamos decidir viver juntos, mas o importante é o sentimento,  o respeito e a cumplicidade entre os casais. Não adianta viver sob o mesmo teto sem esses ingredientes chave para uma união feliz.

Seja feliz da forma que você escolher.

Publicado por Papo Reto com Liliane Ribeiro

Liliane Ribeiro, autora incrível, com uma abordagem inspiradora e engraçada do universo feminino. Com 3 livros publicados no Brasil e Portugal. Seu primeiro livro faz parte do acervo da Biblioteca Nacional de Portugal.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: