Quando pensamos que perdemos, na verdade ganhamos

Perdemos pessoas, mas encontramos pessoas melhores, achamos que nunca encontraremos um amor como o que perdemos, mas achamos o amor que merecemos.

Depois de uma desilusão achamos que nunca encontraremos a pessoa da nossa vida, mas então um dia essa pessoa bate na nossa porta. Pensamos que o futuro pode ser cruel, mas ele é sempre mais amável do que o nosso passado.

Quando “pintam” momentos de lágrimas lembro da citação – “Há coisas muito melhores no nosso futuro do que àquelas que deixamos para trás.” – C.S. Lewis

Tudo bem que o futuro é imprevisível, mas imagine-o brilhante, glorioso e muito melhor do que o passado. Devemos acreditar que os melhores dias estão chegando. Sempre que acontece algo ruim na minha vida eu o coloco na memória do passado. Penso, já aconteceu, então já é passado. É aí que a vida me surpreende, trazendo para mim momentos mais felizes.

A nossa vida está em constante mutação e ela nos ensina a mais valiosa lição, você deve ter fé no futuro porque quando você aprende a lição ele tem sempre o melhor para você.

Você tem o dom da escolha entre pensar em seu futuro como uma bênção ou como uma maldição. Porque, enquanto você estiver vivo e respirando, o mundo precisa de você e é melhor ficar animada sobre isso. Valorize a vida que lhe foi dada.

Isso não significa que o futuro não tenha dias ruins também, mas ele também irá trazer mais bênçãos, mais amor, mais sucesso e mais momentos inesquecíveis.

Em vez de você pensar ” eu não posso ter nada melhor do que isso,” pense: “A minha vida ficará muito melhor a partir de agora, estou preparada para receber nada menos do que mereço. Começo hoje a escrever um novo capítulo.” #LilianeRibeiro

Liliane Ribeiro é jornalista, blogueira, escritora e autora do livro ” Papo Reto com Liliane Ribeiro ” à venda nas melhores livrarias em todo Brasil e online. Adquira já o seu! 💋

papai

Publicado por

Papo Reto com Liliane Ribeiro

Conselheira, espírito nômade, mediadora, inovadora, despudorada e bem-humorada é assim que me auto-defino. Escrevo o que sinto e o que penso sem a preocupação de agradar ao leitor. Escrevo para seres humanos que amam e querem ser amados sejam eles homens , mulheres, heterossexuais, homossexuais, trans, ricos ou pobres. A linguagem do amor é universal ela não faz distinção de pessoas, basta estar vivo para morrer de amor. Talvez seja exatamente por isto que as pessoas se identificam com a minha linguagem. O meu objetivo é empoderar pessoas para que elas não caiam nas ciladas que a paixão nos prepara e se caírem, que se levantem o mais rápido possível para seguirem a viagem insólita que é a busca do par perfeito.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s