Hora de cuidar de mim

O que você faz quando se sente segurando um relacionamento sabe que deveria deixar ir?  Como você reune forças e toma a medida necessária  para seguir em frente?
Você não vai morrer de desconforto.

Toda mudança é desconfortável, mas você vai sobreviver. Permanecer no mesmo lugar, e a “segurança” que você acredita estar ligada a ela, é uma mentira. A qualquer momento, o que você acha que é uma “rede de proteção ” pode desaparecer. Assim saia de sua zona de conforto e tente algo novo, esse  é o caminho a percorrer. Pelo menos você estará crescendo.
Tudo que é novo é  assustador, mas também é excitante.

 Pense nas possibilidades que podem surgir. Não vale a pena o risco de testar? Você não quer prosperar, se sentir animada com a vida? Procure uma nova oportunidade e aproveite.
Sim, algumas pessoas podem deixar você, e daí?

Sim, algumas pessoas podem gostar do seu “velho eu.” Você se encaixava muito bem, você estava acostumada com a rotina. Mas muitos de nós pagam um preço por um comportamento que não é autêntico. 
Permanecer em um relacionamento ultrapassado pode deixá-la muito irritada- ou anulada como mulher. A depressão pode surgir da raiva virada escondida aí dentro. Tenha a coragem de se soltar das pessoas, dos lugares e daa coisas que já não lhe servem.
Reconheça a sua coragem.

Muitas vezes não nos damos crédito suficiente. Estamos assumindo responsabilidade por vidas pelas quais não deveríamos  e possuindo nossos erros. É importante nos dar o crédito que merecemos. Quando somos mais gentis com nós mesmos, quando temos amor-próprio  é mais fácil avançar em nossas vidas.#LilianeRibeiro

Publicado por

Papo Reto com Liliane Ribeiro

Conselheira, espírito nômade, mediadora, inovadora, despudorada e bem-humorada é assim que me auto-defino. Escrevo o que sinto e o que penso sem a preocupação de agradar ao leitor. Escrevo para seres humanos que amam e querem ser amados sejam eles homens , mulheres, heterossexuais, homossexuais, trans, ricos ou pobres. A linguagem do amor é universal ela não faz distinção de pessoas, basta estar vivo para morrer de amor. Talvez seja exatamente por isto que as pessoas se identificam com a minha linguagem. O meu objetivo é empoderar pessoas para que elas não caiam nas ciladas que a paixão nos prepara e se caírem, que se levantem o mais rápido possível para seguirem a viagem insólita que é a busca do par perfeito.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s