O jogo da ansiedade 

Ansiedade 
Ficar acordada à noite imaginando o que ele sente por você. Pensar se tem alguma coisa a ver ou você criou tudo da sua cabeça. Ficar esperando intensamente o dia do encontro e quando finalmente o dia chega você começa a pensar se ele vai ou não. Acordar e esperar durante todo o dia ou até que o aviso de mensagem pule no seu celular. E se o telefone não toca, se a mensagem não vem, o passado faz-se presente e você começa a pensar que o que mal começou terminará da mesma maneira que os outros relacionamentos, amores encarcerados.

 

Contudo você está tentando lidar com isso com certa dignidade.  Conseguiu superar os primeiros meses, mas ao mesmo tempo, você sente que está em um “vale a pena ver de novo”, perguntando, quando foi que as coisas mudaram e o que você fez de errado.

 

A ansiedade é capaz de estragar um sonho. Mas como é difícil controlar o que nos controla.

 

A ansiedade lhe diz: “Não, ele não é a pessoa errada, você é que é a pessoa errada.” E você olha para si mesmo fixando em coisas que você gostaria de poder mudar porque provavelmente foi por isso que não funcionou até agora. É a ansiedade tentando ser a perfeição.

 

Ansiedade é escrever um “testamento” e não ter coragem de enviá-lo. Ao mesmo tempo em que você quer mandar, você não quer feri-lo e isso estressa. Fora a agonia de esperar por uma

Resposta, agonia essa que começa antes mesmo de enviar a mensagem.  Você relê  mas sabendo que ela nunca chegará ao destinatário. E você guarda mais ansiedade.

 

A ansiedade lhe diz que , ele está ignorando você de propósito. Que ele não se importa. Que ele vai te dar um pé nas costas. Que se ele não ligou é porque cansou de você.

 

Ansiedade é acreditar nas mentiras feitas em sua própria cabeça.

 

É o peso tirado do seu peito quando ele responde, mas a preocupação não acaba.

 

“Vai que” a qualquer momento, ele mude de ideia? É jogando com esse cenário você se prepara para respondê-lo.

 

A ansiedade antecipa o pior nas pessoas, mesmo que você ou ele tenham as melhores intenções. É a necessidade de cuidar do outro na insegurança de cuidar demais.

 

É questionar e duvidar, tudo o que o outro pensa, diz e faz.

 

O triste de uma ansiedade incontrolável em um relacionamento é que ela paralisa você, com esse medo de tudo terminar, mesmo que apenas tenha começado.

 

Ansiedade cobra do outro, porque você acha que o ato de cobrar é para seu próprio bem.

É querer beber todo esse sentimento, mas se preocupar em beber demais. É o pedido de desculpas na manhã seguinte sem que ele precisasse existir.

 

E então você “se toca” de que você precisa aprender a confiar nele devagar. Mas a ansiedade convence você de que confiar é completamente ilógico.

 

 

A única coisa capaz de quebrar essa ansiedade seria se  ao final do dia chegasse o conforto em uma frase simples: “Desculpe por não ter respondido, é por que …” Com ela viria um sentimento de totalidade se ele dissesse: “Eu ainda te amo, mesmo com essa coisa de ansiedade com a qual temos que viver”.

 

 

É preciso ser uma pessoa rara para amar alguém com ansiedade e nem sempre é tão fácil. Mas se você descobrir como, você receberá um amor que é incondicional. 
Você estará com alguém que realmente aprecia e aceita você. Você vai ouvir muitos obrigados e eu te amo ainda mais. 
Será um amor que te testará e te desafiará, mas você perceberá que algumas pessoas valem inteiramente a sua doação e todo o seu sentimento como ninguém mais , que você conheceu mereceu. – Liliane Ribeiro

  #LilianeRibeiro
#Amazon #Livros #LOVE #Instagood #instabook #leiamulheres #book #inspiracão  #saladeleitura #mulheres #casal #booklove #instabooks #instalivros #frasessempre #lendo #filme #boaleitura #livroseleitura #leiamais #cheirodelivronovo #instaseries #séries #netflix #skullgeek   #imagine #story #literaturabrasileira  #literaturanacional #livrobom 

Publicado por

Papo Reto com Liliane Ribeiro

Conselheira, espírito nômade, mediadora, inovadora, despudorada e bem-humorada é assim que me auto-defino. Escrevo o que sinto e o que penso sem a preocupação de agradar ao leitor. Escrevo para seres humanos que amam e querem ser amados sejam eles homens , mulheres, heterossexuais, homossexuais, trans, ricos ou pobres. A linguagem do amor é universal ela não faz distinção de pessoas, basta estar vivo para morrer de amor. Talvez seja exatamente por isto que as pessoas se identificam com a minha linguagem. O meu objetivo é empoderar pessoas para que elas não caiam nas ciladas que a paixão nos prepara e se caírem, que se levantem o mais rápido possível para seguirem a viagem insólita que é a busca do par perfeito.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s