E se nos amássemos mais?

E se nos tratássemos da maneira como tratamos a quem amamos sem nem sempre sermos correspondidos ?
Se ao menos o potencial que temos, o melhor em nós, a beleza de nossas imperfeições e a força em nossas falhas. 
Se ao menos fôssemos gentis com nós mesmos quando não sabemos como ser perfeitos ou quando cometemos erros. 
Se ao menos soubéssemos perdoar a nós mesmos como perdoamos aqueles que amamos. Se ao menos nos deixarmos afastar das coisas que deixamos que escapem nos outros.
Se ao menos  pudéssemos amar a nós mesmos quando estamos sendo desagradáveis, se soubemos como nos aceitar quando estamos lutando para mudar e se soubemos como sermos pacientes com nós  mesmos quando estamos prestes a desistir…
Porque se somos capazes de amar os outros, mesmo quando nos ferem, mesmo quando eles estão errados, somos mais merecedores desse tipo de amor de nós mesmos.
Se ainda podemos amar alguém que nos machuca, alguém que nos tenha traído, alguém que tenha quebrado os nossos corações, então podemos definitivamente nos dar uma segunda chance. 
Podemos definitivamente aprender a amar-nos novamente. Podemos aprender a não sermos definidos pelo que fizemos no passado e podemos definitivamente aprender a encontrar razões para acreditar novamente em nós mesmos.
Se ao menos soubéssemos apoiar-nos da maneira como apoiamos os outros quando se afogam. Se ao menos investíssimos em nós mesmos como investimos nos outros. Se nos amássemos incondicionalmente. Se tivéssemos apenas o poder de nos tornar felizes da forma como damos aos outros esse poder.
Porque, talvez, se aprendessemos a nos tratar a maneira como tratamos aqueles que amamos, sem nos questionarmos todas as noites, sem duvidarmos da nossa grandeza todas as manhãs, sem nos perguntarmos  por que ninguém nos quer ou por que ninguém nos ama, sem discutirmos se somos ou não bons o suficiente e sem sermos muito duros com nós mesmos.
Talvez se aprendêssemos a nos tratar da maneira como tratamos os que amamos, veremos que há muito mais para amar, que temos qualidades que nos tornam especiais, que nem sempre temos que nos comparar aos outros e de alguma forma sentirmos que estamos atrasados. Descobriremos que tudo o que precisávamos era uma mudança de perspectiva porque nunca seremos perfeitos, mas é importante ser gentil conosco a cada passo do nosso caminho.
Talvez então entenderemos o tipo de amor que realmente merecemos e aprenderemos a não nos contentarmos com aqueles que não podem ou não querem nos amar. – Liliane Ribeiro 
O livro “Papo Reto com Liliane Ribeiro” da editora Novo Século  está à venda nas melhores livrarias em todo país.  Assim como o manual do namoro online- Ebook “Mulher Desejada ” – no site a Amazon . 
#Amazon #Livros #Instagood #instabook #instalivros #lisboa_pt #Flip #lendo  #livro

#book #paporetoliliane
#Amazon  #Livros #lisboa_pt #Flip #portugaldenorteasul #lisbonlovers  #LilianeRibeiro #dicadeleitura #livroseleitura #tvl #luxotvLisboa

Publicado por

Papo Reto com Liliane Ribeiro

Conselheira, espírito nômade, mediadora, inovadora, despudorada e bem-humorada é assim que me auto-defino. Escrevo o que sinto e o que penso sem a preocupação de agradar ao leitor. Escrevo para seres humanos que amam e querem ser amados sejam eles homens , mulheres, heterossexuais, homossexuais, trans, ricos ou pobres. A linguagem do amor é universal ela não faz distinção de pessoas, basta estar vivo para morrer de amor. Talvez seja exatamente por isto que as pessoas se identificam com a minha linguagem. O meu objetivo é empoderar pessoas para que elas não caiam nas ciladas que a paixão nos prepara e se caírem, que se levantem o mais rápido possível para seguirem a viagem insólita que é a busca do par perfeito.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s