Amor próprio 

  A realização final na vida é ser capaz de aceitar, abraçar e realmente amar a nós mesmos, independentemente do nosso passado, imperfeições ou circunstâncias atuais. Como mulheres, nos deleitamos com a ideia de que os homens nos amam, mas no processo, nós nos esquecemos de amar a nós mesmos.
Nós acreditamos que o amor próprio é uma emoção com a qual você tenta  sentir declarando como “Eu me amo”, em voz alta em frente a um espelho. Não é tão incomum o uso deste método, mas para a maioria das mulheres também é ineficaz. Uma maneira lógica de entender como se amar é perguntando-se “O que devo fazer aqui mesmo, agora mesmo, para me amar?” em vez de se perguntar “Como posso sentir amor por mim?”
 Toda ação tem uma reação
Talvez você goste de ser criativa, de malhar, ler, dançar ou cantar. Seja o que for você se sente motivada faça  porque isso faz você se sentir bem.
 Quando você estiver se sentindo mal, concentre-se em fazer algo de imediato que faça você se sentir motivada, confiante, contente e com uma sensação profunda de autoestima, suas atitudes e emoções refletirão isso.
 Posicione-se, fique atenta aos seus valores / crenças e não esteja disposta a comprometer-se em algo ou alguém que não a faça feliz. O auto respeito vem de aceitar que o que você está fazendo sendo certo para você. Não se desculpe pelas suas paixões ou interesses por outros não concordarem com isso. Seja sempre você.
 Esteja atenta às suas escolhas
 Para progredir, você precisa se perguntar várias vezes ao longo do dia: “Esse pensamento / essa escolha me beneficia e como?” Quanto mais consciente você for do seu diálogo interno negativo e das decisões precipitadas que você tomar que venham a prejudicar o seu amor, você começará a mudar completamente sua perspectiva e sua vida.
 Pare de perder tempo com arrependimento
O arrependimento é um tempo desperdiçado porque que não temos uma máquina do tempo e não podemos voltar no tempo e mudá-lo. Tudo o que você pode fazer, pensar é “qual é o melhor aspecto desta decisão / período na minha vida” quando percebe que tudo de  “ruim” que vem até você tem uma lição positiva para atendê-la no futuro,  você liberará todos os lamentos que você tem em você. Na vida, temos que enfrentar o contraste – O sol precisa da lua, a noite precisa do dia e as necessidades felizes são tristes. Sem o “mau” como podemos distinguir o que nos deixa feliz, a necessidade de amor e a necessidade de empoderamento ?
 Amar-nos não é uma ocorrência única. É um processo incessante e contínuo. Conectando-se a si mesmo por autoafeição e apreciação, trará o outro para mais perto de você  com grandes chances de um relacionamento promissor, sem barganhas e sem mendigar sentimentos.

Liliane Ribeiro 

Jornalista – Escritora

Publicado por

Papo Reto com Liliane Ribeiro

Conselheira, espírito nômade, mediadora, inovadora, despudorada e bem-humorada é assim que me auto-defino. Escrevo o que sinto e o que penso sem a preocupação de agradar ao leitor. Escrevo para seres humanos que amam e querem ser amados sejam eles homens , mulheres, heterossexuais, homossexuais, trans, ricos ou pobres. A linguagem do amor é universal ela não faz distinção de pessoas, basta estar vivo para morrer de amor. Talvez seja exatamente por isto que as pessoas se identificam com a minha linguagem. O meu objetivo é empoderar pessoas para que elas não caiam nas ciladas que a paixão nos prepara e se caírem, que se levantem o mais rápido possível para seguirem a viagem insólita que é a busca do par perfeito.

Um comentário em “Amor próprio 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s