Será um desejo vago ou um amor fatal?

Um desejo pode ser um desejo vago, um desejo agudo, um desejo constante, uma obsessão indefesa.

Pode sinalizar uma ausência ou uma presença, uma necessidade ou um compromisso, um ideal ou uma impossibilidade.

A raiz da palavra “desejo” liga-a a considerar e a termos de investigação e augúrio, lembrando-nos, assim, que o desejo é muitas vezes menos o que sentimos do que o que pensamos sobre o que sentimos.

E a raiz ainda mais profunda da palavra liga-a a estrelar e a brilhar, como se os nossos desejos e os brilhantes centros do nosso ser fossem também como os destinos fixos nos céus, determinando o curso das nossas vidas.

De fato, nossa experiência mundana de desejo freqüentemente coincide com essa sensação de algo além do nosso controle, de algo confuso, algo que nos leva além dos limites do hábito ou da razão.

É o coração de nossos corações, o próprio material do ego. O desejo explode além das fronteiras do tempo ou da lei. Ele flutua através de véus de propriedade. Não pode ser confinado por expectativas ou restrições sociais.

O amor é outra coisa. Tão misteriosos quanto os caminhos do desejo, e desconcertando seus efeitos, o amor é o desejo elevado a um poder superior. Pode ser tão consumido quanto o desejo, mas dura mais tempo. O amor é a qualidade da atenção que damos às coisas.

O amor é tanto o santuário quanto o ídolo. O amor é o que fazemos das outras pessoas e o que elas fazem de nós. Pode ser tão desapaixonado quanto um monge zen, ou tão perdido quanto um herói romântico.#LilianeRibeiro

#Paporetoliliane #mulher #empoderamento #AmorEmTodasAsCores #livro #Livros #instalivros #lisboa_pt #Flip #BienalSP

Publicado por

Papo Reto com Liliane Ribeiro

Conselheira, espírito nômade, mediadora, inovadora, despudorada e bem-humorada é assim que me auto-defino. Escrevo o que sinto e o que penso sem a preocupação de agradar ao leitor. Escrevo para seres humanos que amam e querem ser amados sejam eles homens , mulheres, heterossexuais, homossexuais, trans, ricos ou pobres. A linguagem do amor é universal ela não faz distinção de pessoas, basta estar vivo para morrer de amor. Talvez seja exatamente por isto que as pessoas se identificam com a minha linguagem. O meu objetivo é empoderar pessoas para que elas não caiam nas ciladas que a paixão nos prepara e se caírem, que se levantem o mais rápido possível para seguirem a viagem insólita que é a busca do par perfeito.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s