Sou o que sou.

Sou uma mulher diferente.
Imprudentemente bela e indomada – meu coração está aberto para que eu não apenas confie no processo de transformação chamado vida, mas também confie na força em que cada um dos meus pés atinge o chão e na minha capacidade de manobra mediante alegrias e tristezas que enfrento todos os dias.

Eu voo alto, mais alto do que qualquer pensamento.
Não sou ligada a dinheiro, a um pedaço de papel, a uma casa, um carro, à aprovaçã dos outros, a um anel ou ao sucesso.
Meu sucesso está no poder da minha presença.

Eu estou presente nos seres humanos que como eu tropeçam como o coração .
Não me encolho para acomodar inseguranças dos que me rodeiam e quem sabe até odeiam, fico de pé para lembrá-los gentilmente, que não me entrego e por isso venço.

Meu corpo é apenas um um recipiente para a magnificência da minha alma, e as minhas cicatrizes são cobertas pelo bronzeado do sol .

Eu ando com a cabeça erguida quando entro em qualquer lugar porque sei que há espaço para mim neste mundo, por mais que ele tente dizer que não.

Não tenho medo de mostrar ao mundo as minhas lágrimas e meu sorriso, sem vergonha.

Eu sou uma mulher diferente que não tem medo de amar antes mesmo que a outra pessoa esteja pronta para me receber o meu amor. E não tem medo de deixar um amor quando ele não corresponde ao meu.

Não tenho medo de me mover mais depressa ou mais devagar sobre as expectativas dos outros. Porque eu tenho a minha vontade.
Eu estou aqui para amar e ser amada.

Eu sou uma mulher diferente, amo alma e não o gênero. Chame -me de louca, de desaforada, do que você quiser, eu não sou uma vítima das circunstâncias .

Eu estabeleço com facilidade, limites que me honram.
Eu entendo que dizer não é amor próprio e dizer apenas sim é indignidade.

Eu sou autêntica ao extremo. Eu soube serei sempre eu. Posso sentir a maldade há quilômetros de distância. Mas não grito. Me calo. E reajo no momento certo.

Eu cuspo em algumas regras sorrindo e escrevo meu próprio vocabulário.

A minha liberdade não está em uma gaiola que requer seis doses de uísques para que seja liberada.

Eu me jogo na vida e ela me abraça.
Eu sou uma mulher de diferente – uma mulher que tods notam quando entra seja onde for e deixa marcas quando sai. – Liliane Ribeiro
💕💕

Publicado por

Papo Reto com Liliane Ribeiro

Conselheira, espírito nômade, mediadora, inovadora, despudorada e bem-humorada é assim que me auto-defino. Escrevo o que sinto e o que penso sem a preocupação de agradar ao leitor. Escrevo para seres humanos que amam e querem ser amados sejam eles homens , mulheres, heterossexuais, homossexuais, trans, ricos ou pobres. A linguagem do amor é universal ela não faz distinção de pessoas, basta estar vivo para morrer de amor. Talvez seja exatamente por isto que as pessoas se identificam com a minha linguagem. O meu objetivo é empoderar pessoas para que elas não caiam nas ciladas que a paixão nos prepara e se caírem, que se levantem o mais rápido possível para seguirem a viagem insólita que é a busca do par perfeito.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s